O teste de hemoglobina glicada é de extrema importância para quem possui diabetes. É por meio desse monitoramento que você sabe se a doença está sob controle, qual atitude você deve tomar, seja comer um alimento rico em carboidrato ou aplicar insulina.

Esse acompanhamento fica muito mais fácil se você tiver um diário de glicemia, também chamado de diário de monitorização glicêmica. Esse documento, que pode ser um pequeno caderno de anotações, um aplicativo para smartphone ou até uma planilha de Excel, permite que você registre um histórico da sua evolução e tenha maior controle sobre a doença.

Saiba agora em detalhes o que é um diário de glicemia e como usá-lo a seu favor!

 

Retomando conceitos: o que é glicemia?

Glicemia é o termo usado para definir a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. A glicose, por sua vez, é um tipo de carboidrato extraído de vários alimentos, no momento da digestão e absorção de nutrientes pelo organismo.

Altas quantidades de glicose no organismo indicam diabetes, por isso é importante realizar o exame de hemoglobina glicada e, em caso de ser diagnosticado com a doença, fazer o acompanhamento sistemático da glicemia a fim de de facilitar o tratamento médico e nutricional e assegurar das atitudes a serem tomadas.

Para saber mais sobre o que é glicemia e como realizar o teste de glicemia capilar, confira o post Teste de glicemia: tudo o que você precisa saber!

 

E o diário de glicemia, para quê serve?

Além de ter uma rotina com horários predeterminados para fazer medição de glicose no sangue, você também precisa concentrar-se no seu histórico glicêmico: como estava seu nível de glicemia pela manhã? E após o almoço? E no jantar? E logo após a academia?

Manter todas essas informações registradas e com fácil acesso permite que você planeje melhor suas refeições, saiba quando é preciso aplicar insulina e quando é necessário corrigir uma hipoglicemia com ajuda de alimento ricos em açúcar.

Elas também mostram de forma clara e objetiva os efeitos de cada alimento ou ação do medicamento, permitindo que sua equipe médica determine com maior precisão a quantidade de insulina a ser aplicada.

É por essas, entre outras razões, que o diário de glicemia é um grande aliado dos pacientes com diabetes, assim como dos médicos e nutricionistas que fazem o acompanhamento desses pacientes.

 

Como usar seu diário glicêmico

Como comentamos no início deste post, o diário de glicemia pode ser feito de diversas formas: com um caderno, uma planilha ou mesmo um aplicativo mobile. O importante é que ele esteja sempre próximo a você e traga os campos essenciais a serem preenchidos:

  • dia e mês;
  • refeições (café da manhã, almoço, jantar e lanches)
  • glicemia antes da refeição e duas horas após a refeição.

Caso você seja orientado a medir a glicemia em outras situações, como antes e após a prática de atividades físicas, esse item também deve figurar no seu diário glicêmico. Por isso é importante definir as informações que devem ser acompanhadas juntamente com seu médico ou educador em diabetes.

 

Quando for consultar com seu médico, não esqueça de levar seu diário de glicemia, pois é a partir dele que o profissional definirá os próximos passos do seu tratamento. Questões como quantidade de insulina, adequações na alimentação e até a pontos relativos sobre atividades físicas podem ser definidas a partir das suas anotações.

 

Curioso para saber como fazer um diário de glicemia? Assine nossa newsletter e receba dicas práticas para um bom controle da diabetes diretamente no seu e-mail!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>