Se você convive com o diabetes mellitus é muito provável que já tenha ouvido falar nos termos “teste de glicemia”, “hiperglicemia” e “hipoglicemia”. Eles fazem referência aos níveis de glicose no sangue da pessoa com diabetes e, principalmente no caso da diabetes tipo 1, suas medições são fundamentais para um controle efetivo dessa doença.

No artigo de hoje explicaremos o que é a hipoglicemia, quais são suas principais causas e, também, como evitá-la. Continue lendo e lembre-se de assinar nossa newsletter para receber importantes conteúdos e dicas direto em sua caixa de entrada!

 

O que é hipoglicemia?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, a hipoglicemia caracteriza-se pela baixa concentração de glicose no sangue, onde os níveis caem para valores abaixo do normal. Normalmente as pessoas que apresentam os sintomas (listados logo abaixo) estão com os níveis glicêmicos abaixo de 70 mg/dl.

A hipoglicemia e seus sintomas também podem ocorrer com níveis acima de 70 mg/dl. Isso acontece quando há um quadro crônico de hiperglicemia seguido por uma queda brusca na quantidade de açúcar no sangue. Nesses casos é fundamental buscar auxílio médico para revisar o planejamento de controle do diabetes mellitus.

 

Quando ocorre a hipoglicemia?

O quadro de hipoglicemia normalmente é ocasionado por um desses quatro fatores principais:

  • falta de alimentação nos horários determinados;
  • tempo prolongado em jejum (mais de 4 horas se comer);
  • ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;
  • consumo inadequado de carboidratos;
  • excesso de exercícios físicos;
  • aplicação de doses elevadas de insulina (ou erro de aplicação, por exemplo, mudança do local);
  • ingestão de medicamentos (hipoglicemiantes orais).

Justamente por ser ocasionada por diferentes fatores é fundamental que você acompanhe os níveis de açúcar no sangue com frequência por meio dos testes de glicemia. Caso não seja possível fazê-lo é muito importante que você fique atento aos sintomas.

 

Quais os principais sintomas da hipoglicemia?

A maioria das pessoas com diabetes conhece bem os sintomas da falta de glicose no sangue. Eles podem aparecer com maior ou menor intensidade, dependendo do paciente e dos níveis de açúcar. Dentre os principais podemos listar:

  • excesso de suor e calafrios;
  • sonolência;
  • fraqueza muscular;
  • ansiedade e irritabilidade
  • dor de cabeça e até confusão mental;
  • tontura;
  • palpitações no coração (bate mais rápido que o normal);
  • tremores;
  • visão dupla ou turva;
  • fome súbita ou náuseas.

A glicose é a principal fonte de energia do nosso cérebro e, em alguns casos mais graves de hipoglicemia, a falta de açúcar no sangue pode  causar convulsões e até mesmo perda de consciência.

Existem casos específicos, como na “não percepção de hipoglicemia”, onde os sintomas não são aparentes. É possível, por exemplo, que uma pessoa com diabetes apresente quadro de hipoglicemia durante a noite e não acorde a tempo de tomar uma atitude. Essas hipoglicemias são chamadas de hipoglicemia assintomática e hipoglicemia noturna.

 

Como tratar a hipoglicemia?

Existem duas possibilidades para tratamento da hipoglicemia e elas variam de acordo com o estado de consciência do paciente e com sua gravidade:

 

Caso a pessoa esteja consciente

Quando a pessoa está consciente o tratamento para a hipoglicemia é mais simples. Confirme a condição realizando um teste de diabetes (ponta de dedo). Caso confirme o nível abaixo de 70 mg/dl é importante administrar cerca de 15g de carboidrato simples de rápida absorção, que pode ser obtido por meio de:

  • 1 colher de sopa rasa de açúcar com água; ou
  • 1 colher de sopa de mel; ou
  • 150 ml de refrigerante não dietético (1 copo pequeno); ou
  • 150 ml de suco de laranja (1 copo pequeno); ou
  • 3 balas moles de caramelo frutas de fácil mastigação.

Vale ressaltar que, 15 minutos após o consumo do carboidrato, é fundamental que o paciente meça novamente a glicemia para confirmar não está mais com hipoglicemia.

 

Caso a pessoa esteja inconsciente ou semiconsciente

Antes de tudo é preciso informar que não se deve corrigir a hipoglicemia com doce leite ou condensado, barra de cereais ou chocolate. Alimentos ricos em gorduras, proteínas e fibras retardam a absorção do açúcar.

É muito importante não oferecer alimentos, uma vez que o estado limitado de consciência pode fazer com que os líquidos ou sólidos sejam aspirados para o pulmão, complicando a situação. O ideal é aplicar glucagon, um hormônio que atua de maneira contrária à insulina, aumentando a glicose no sangue.

Você também pode tentar colocar um pouco de açúcar nas mucosas das bochechas e gengivas, para que absorva um pouco de glicose. De qualquer maneira, o melhor é sempre chamar socorro médico o mais rápido possível.

 

A hipoglicemia é um quadro comum na vida de quem convive com o diabetes mellitus, por isso é importante estar preparado. Sendo assim, aproveite e saiba qual é a taxa ideal de glicose para você!

 

 

Revisado por Camila Cialdini Faria – Educadora em diabetes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>