Diabetes e atividade física devem estar lado a lado. Se você tem diabetes ou conhece alguém que tenha essa doença, já deve saber que manter o corpo em movimento contribui para o controle glicêmico e a manutenção da saúde.

Neste post, vamos explicar melhor como abandonar o sedentarismo beneficia os diabéticos e, ainda, apresentar uma lista de 7 atividades para quem convive com o diabetes. Acompanhe!

 

A importância dos exercícios físicos

Nosso dia a dia é repleto de inúmeras facilidades — como o uso constante de carros, a existência de elevadores e até os aplicativos que nos trazem tudo à mão em poucos cliques, dentre outras.

Esse estilo de vida funciona quase como um incentivo implícito ao sedentarismo, fazendo com que muitas pessoas não só abram mão da atividade física como se movimentem pouco em suas rotinas.

Vários problemas de saúde podem ser relacionados à essa situação, como a obesidade, a hipertensão, problemas cardiovasculares e até mesmo o diabetes. Por isso, tantos profissionais da saúde recomendam que pessoas de qualquer idade ou condição busquem formas de se movimentar com mais frequência.

 

O poder dos exercícios para os diabéticos

Pessoas que adotam uma vida mais ativa percebem uma melhora global de sua saúde. Isso acontece, sobretudo, para quem se vê motivado a aliar a prática de exercícios a uma alimentação balanceada e outros hábitos mais saudáveis.

Na vida de uma pessoa com diabetes, principalmente do tipo 2, essa mudança de hábitos resulta no melhor funcionamento do organismo. A resposta à insulina se torna mais rápida e o tão desejado equilíbrio dos níveis de glicose se torna mais fácil de alcançar.

Confira os benefícios associados ao poder dos exercícios para diabéticos:

  • Melhora da ação da insulina no organismo;
  • Aumento da sensibilidade celular à insulina;
  • Melhor controle do diabetes;
  • Melhora da captação de glicose pelo músculo (o que pode ocasionar a redução nas doses dos medicamentos e reduzir a chance de ocorrência de problemas relacionados ao diabetes como infarto, problemas renais, de visão, perda da sensibilidade dos nervos, entre outros);
  • Redução do colesterol ruim (LDL), aumento do colesterol bom (HDL) e consequente redução no risco de doença cardiovascular;
  • Melhor controle da pressão arterial;
  • Redução da gordura visceral e risco de infarto;
  • Perda de peso de forma saudável;
  • Redução dos riscos de ansiedade e depressão;
  • Melhora no padrão respiratório;
  • Fortalecimento do organismo e melhoria da qualidade de vida.

 

7 exercícios para sair do sedentarismo

Agora que você já conhece os benefícios em aliar diabetes e atividade física, vai gostar de acompanhar nossa lista com sugestões para colocar o corpo em movimento.

A recomendação é de que as atividades aconteçam de forma regular, por um período mínimo de 30 minutos diários ou 150 minutos semanais para adultos e idosos. No caso de crianças, uma hora por dia de atividades físicas variadas, como esporte, dança, brincadeiras, dentre outros.

Conheça 7 exercícios para diabéticos:

1. Caminhada — esse é um exercício que permite que cada pessoa respeite seu próprio ritmo e evolua gradualmente, desde que acompanhado por um profissional. O resultado é a melhora do ritmo cardíaco e a perda de peso por se tratar de um exercício aeróbico;

2. Corrida — esse tipo de exercício aeróbico aumenta a resistência muscular, favorecendo a saúde cardiovascular e respiratória, além de contribuir para a redução do nível de glicose no sangue, já que aumenta a sensibilidade à insulina. Excelente para perda de peso e prevenção do diabetes tipo 2;

3. Bicicleta — atividades aeróbicas em geral são interessantes para os diabéticos. A bicicleta ajuda a fortalecer a musculatura e coração, além de estimular o funcionamento dos pulmões e a circulação sanguínea para pernas (membro inferior alvo de uma das complicações do diabetes). Também contribui com o aumento do gasto calórico pelo corpo;

4. Natação — a natação é um exercício físico bastante completo e muito recomendado, principalmente para pessoas com obesidade. Contribui para o fortalecimento da musculatura, o aumento da frequência cardíaca, estimula os pulmões e favorece a perda de peso. Tudo isso sem causar impactos nas articulações;

5. Pilates — o pilates é um bom exercício para diabéticos porque, ao promover o fortalecimento muscular, contribui para a o aumento do metabolismo. Como consequência, favorece a redução do nível de glicose no sangue, proporciona mais equilíbrio e, no caso de quem tem alguma complicação, é recomendado para aliviar tensões;

6. Yoga — a prática da Yoga contribui diretamente para a redução dos níveis de stress, já que com os exercícios de relaxamento os pacientes apresentam menor secreção de hormônios, como adrenalina e cortisol. Além disso, contribui para o relaxamento muscular e aumento na irrigação sanguínea, melhorando o controle dos níveis glicêmicos, dentre muitos outros benefícios;

7. Musculação — Exercícios anaeróbicos de resistência, como musculação, são cruciais para o aumento de massa magra corporal. Mesmo para quem deseja ou precisa emagrecer, esse ganho de massa magra é positivo porque acelera o metabolismo e contribui para a queima de calorias. Os músculos mantêm a glicemia baixa por um tempo prolongado, diferente das atividades aeróbicas, já que são importantes consumidores de glicose.


Além disso, a situação oposta, de perda de massa magra, dificulta a manutenção dos níveis adequados de açúcar no sangue e contribui para o aumento do percentual de gordura corporal.

 

Como alcançar melhores resultados

Acompanhando nossa lista de exercícios para diabéticos, pode ser que você tenha se sentido um pouco desencorajado por se deparar com algo que não saiba como fazer.

Por isso, vamos falar sobre o que fazer para tirar o máximo proveito das atividades e alcançar os melhores resultados. A ideia é ajudar você a melhorar a qualidade de vida e sua relação com o diabetes. Veja só:

Tenha orientação profissional para as atividades — certifique-se de contar com acompanhamento ou orientação de especialistas para a prática de qualquer atividade física. Assim, você evita erros de execução, adequação ou intensidade que resultem em problemas;

  • Saiba quais atividades são recomendadas para você — cada pessoa tem características e necessidades próprias que devem guiar a escolha das atividades ideias. Além do profissional de Educação Física, buscar a orientação de seu endocrinologista e cardiologista é importante;
  • Mantenha-se hidratado e alimente-se bem — a mudança de hábitos na alimentação que acompanha a prática de atividades físicas deve ser sempre positiva. Esteja certo de fazer refeições leves, porém nutritivas e adequadas à sua dieta antes e após os exercícios. Beber água antes, durante e depois também é necessário;
  • Escolha horários adequados — para aliar atividades físicas e diabetes com sucesso, é fundamental saber escolher um horário que não coincida com o período de pico da ação de medicamentos que baixam o nível da glicose. Assim, evita-se o mal-estar, desmaios e outros problemas;
  • Faça a medição da glicemia antes e após a atividade — como complemento à dica anterior, vale ressaltar a importância de fazer o teste de glicemia capilar para se certificar de que o nível de glicose está adequado. Quando necessário, meça a glicemia também durante o exercício;
  • Tenha sempre um sachê “glicose” ou fonte de açúcar — ter uma fonte de carboidrato de rápida absorção (mel, rapadura) ou um sachê de glicose é a solução para reverter quedas do nível de glicose no sangue (hipoglicemia);

  • Leve consigo a sua identificação de diabético “Eu tenho diabetes”— a identificação do diabético permite que outras pessoas saibam como agir em caso de problemas;

  • Repita o teste de ponta de dedo — para práticas físicas mais longas, pode ser interessante verificar a glicemia a cada meia hora e acompanhar variações e quando necessário fazer as correções. E sempre, ao final das atividades, verifique novamente o nível de glicose no sangue para evitar o risco da hipoglicemia tardia;
  • Mantenha o acompanhamento médico periódico — como dito, a prática de atividades físicas contribui para a redução da glicemia. Mesmo que os testes de glicemia capilar comprovem essa situação, jamais altere a dosagem e frequência de suas medicações por conta própria;
  • Não aplique insulina nos músculos que trabalhará no dia – se for correr, por exemplo, não aplique na perna. No caso de natação, evite aplicar nos braços ou pernas. O exercício faz com que a insulina aja com mais efetividade e a glicose seja absorvida mais rápido, contribuindo para uma possível hipoglicemia;
  • Nunca inicie a prática de exercícios com glicemia inferior a 80mg/dl – é recomendado fazer um lanche leve antes e depois o exercício normalmente. Da mesma forma, não fazer exercícios com glicemia superior a 250mg/dL. Consulte seu médico ou nutricionista para aprender como agir em cada momento!

 

Siga uma rotina de visitas regulares aos seus médicos, inclusive para que possam acompanhar sua evolução. Assim, suas chances de obter todos os benefícios dos exercícios para diabéticos serão muito maiores.

Vale ressaltar que a prática de exercício físico pela pessoa com diabetes é essencial para sua saúde. Porém, é mais importante ainda fazer o acompanhamento médico, com um profissional de educação física e um nutricionista.

 

Então, pronto para abandonar o sedentarismo? Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos direto em sua caixa de entrada!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>